Doce Mel de Uruçu 4

Doce Mel de Uruçu

Te deixaria confuso se eu te dissesse que o mel de uruçu citado na música “Morena Tropicana” de Alceu Valença, na verdade, não é mel? A abelha uruçu, assim como 90% das abelhas brasileiras, produz uma substância como o mel, mas que não é considerada como tal pela legislação vigente do Brasil.

Vamos explicar isso um pouco melhor: mel, pela lei brasileira, é uma substância produzida por abelhas a partir do néctar recolhido de flores e que tem, no máximo, 20% de umidade. A única abelha que produz esse mel naturalmente é a Apis Melífera de origem europeia ou africana.

Em 1950, o geneticista Warwick Estevam Kerr trouxe da África alguns espécimes de Apis Melifera para estudo. Foi só uma questão de tempo até que Murphy agisse e, em um acidente digno de ficção científica de Hollywood, as abelhas escaparam e os pesquisadores perderam o controle sobre elas. Kerr foi responsabilizado pelo acidente e a partir daí dedicou-se a estudar a genética dessas abelhas, criando então a “abelha africanizada”. Nos anos 1970, essa espécie – muito agressiva – proliferou-se pelo Brasil e por vários países vizinhos, dominando quase 90% do mel comercializado na América Latina.

Além do aumento da quantidade de abelhas africanizadas, outro fato curioso tem acontecido ao redor do mundo: as abelhas têm abandonado suas larvas e funções na colmeia, desestabilizando o ecossistema. O “vírus”, que danifica o código genético dos insetos, resulta na diminuição drástica do número de abelhas: de 2006 pra cá, só no Brasil, esse número diminuiu 30%.

O grande problema disso é que o eventual fim das abelhas não nos deixaria apenas sem mel: cerca de 80% do nosso alimento depende do trabalho delas como polinizadoras, ou seja, parte considerável do reino vegetal simplesmente morreria por não conseguir mais se reproduzir.

É por esse motivo que temos uma sugestão: tenha uma colmeia em casa. Diferente das abelhas africanizadas, as abelhas originais brasileiras são muito dóceis (e uma prova disso é que a maioria delas não tem ferrão), o que as torna muito fáceis de criar. O mele – essa é a denominação do mel brasileiro – tem na sua composição de 30 a 38% de umidade, o que faz com que ele sofra fermentação e varie de sabor. Você será recompensado com um mel delicioso e fresco todos os dias.  

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *